Equipes de fauna da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) junto com uma equipe de veterinários do Centro de Tratamento de Animais Silvestres (Cetas), estão desenvolvendo um estudo de parasitas e doenças em aves, répteis e mamíferos  oriundos de resgates e apreensões realizadas pelas equipes do órgão ambiental e que temporariamente residem no Centro de Tratamento.

O principal objetivo do estudo é fazer uma apuração de quais parasitas e as principais doenças que estão afetando os diversos animais silvestres no Estado de Sergipe que são encaminhados ao Cetas por meio de apreensões e resgates, e a partir daí possa ser tomados os devidos cuidados.

O estudo servirá para amostragem e será baseado em três exames: ectoparasitas (carrapatos, pulgas e ácaros), endoparasitas (vermes) e hemoparasitas (parasitas que acometem o sangue). Serão coletadas amostras de aves, répteis e mamíferos, e com o resultado de cada um será feito um levantamento desses dados que posteriormente serão divulgados publicamente.

De acordo o veterinário da Adema e idealizador do projeto, Daniel Allievi, o estudo terá duração de seis meses. “Iniciamos os trabalhos no último dia 5 e coletamos amostras em duas aves, e, todas as quintas-feiras estaremos no Cetas desenvolvendo essa atividade. Após a coleta das amostras de cada animal, faremos uma planilha com dados, quantificando, calculando e tabulando até obtermos o resultado final, cuja previsão será no próximo mês de outubro e que será muito importante para posteriores estudos e divulgações de trabalhos científicos”, afirma.

Última atualização: 12 de maio de 2022, 13:07 PM