A Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) recebeu voluntariamente um sagui-de-tufo-branco (Callithrix jacchus) que estava sendo vítima de maus tratos por um cidadão. A entrega foi feita na sede do órgão ambiental, localizado no bairro 13 de julho, por uma mulher que durante o ato informou ter recolhido o animal após ele cair machucado de uma árvore em razão de um morador que  vive próximo à sua residência ter atirado pedras por ele estar perto do galinheiro que o mesmo mantinha em sua casa.

Após avaliação veterinária, constatou-se tratar de um macho filhote, bastante debilitado e apático, apresentando uma infecção bilateral em ambos os olhos, tendo sido encaminhado para o Centro de Tratamento de Animais Silvestres (Cetas) para os cuidados médicos e reabilitação, e, posteriormente ser reinserido na natureza.

O sagui é um animal silvestre de uma espécie exótica que necessita viver com seus similares para aprender com eles todos os hábitos, e se alimentam não só de bananas e outras frutas, mas também de grãos e insetos, podendo ser encontrados geralmente em áreas com vegetação, pois vivem em copas de árvores. Os saguis são receptivos com os homens, mas é um animal temperamental, podendo morder os seres humanos sem razões aparentes.

A Adema ressalta à população que configura crime ambiental, matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida (Art. 29, Lei 9605/98), e que ao encontrar qualquer tipo de animal silvestre,  os cidadãos não devem manusear, tentar alimentar ou medicar estes animais, apenas acionar as equipes especializadas do órgão para fazer o resgate ou apreensão, por meio do telefone (79) 9 9191-5535. O mesmo número também serve para agendar a entrega voluntária desse tipo de animal.

Última atualização: 26 de abril de 2022, 12:39 PM