Em resposta a uma publicação veiculada no blog do jornalista Cláudio Nunes, intitulada “As denúncias são feitas, mas o cenário continua o mesmo”, o diretor-presidente da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), Francisco Dantas, informa que, ao chegar a Autarquia, encontrou o quadro de funcionários completo. Incluindo alguns professores cedidos pela Secretaria de Estado da Educação (Seed) à Adema. Diante disto, esclarecemos que estes profissionais, desde o momento que começaram a laborar neste órgão, perderam automaticamente a regência de classe – que é a gratificação pertinente àqueles que estão em sala de aula – passando a receber apenas a gratificação ambiental, no valor de  R$ 1.484,94. E, desde então, usufruem apenas de trinta dias de férias, como qualquer outro servidor.

Esta mudança foi acatada por todos os professores que aqui laboram, por dedicação à causa ambiental. Tanto que, em nossa rotina de trabalho, é percebida a satisfação destes em atuar enquanto técnicos ambientais. Buscando, sempre, o justo equilíbrio entre suas funções e a necessidade do desenvolvimento econômico que gera empregos e move a nossa economia.

Os professores que aqui atuam, que eu tive a oportunidade de conhecer no dia a dia na Adema, são altamente qualificados para as atividades funcionais que exercem dentro de suas competências, com especializações e ações específicas.

Na Adema, trabalhamos para atender demandas privadas e públicas, do próprio Estado, dos Municípios. do Ministério Público e, também, do Poder Judiciário.

Os nossos técnicos, entre eles, os professores que aqui laboram, sabem do respeito e lealdade da nossa convivência. Na Adema, a presidência não avoca processos e se respeita as posições técnicas apontadas, priorizando o clima harmônico em todas as questões.

Repito que, nessa gestão, nenhum professor foi cedido para a Adema. Mas, ficaria feliz se essa vinda tivesse ocorrido.

O quadro de técnicos da Adema é pequeno, mas de imensa qualidade, competência e compromisso com o Meio Ambiente.

Não tenho vergonha de ser um eterno aprendiz, como disse Gozanguinha. Por isso,  posso afirmar que, na Adema, aprendo todos os dias e tenho consciência do imprescindível serviço público que, esses profissionais, no caso, os professores que aqui trabalham, prestam à sociedade.

 

Francisco Dantas
Diretor-presidente da Adema

 

 

Última atualização: 1 de novembro de 2018, 07:20 AM