URUBU-REI


ORDEM: Cathartiformes

FAMILIA: Cathartidae

ESPECIE: S. papa

NOME POPULAR: corvo-branco, urubu-real, urubu-branco, urubutinga, urubu-rubixá e iriburubixá.

NOME CIENTÍFICO: Sarcoramphus papa.

DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA: Ocorre do sul do México até o norte da Argentina, incluindo todo o Brasil.

HABITAT: Pode ser encontrado em florestas com clareiras (campos, pastagens), cerrado e bosques. É visto normalmente voando alto, sozinho ou aos pares, raramente em grupos de vários indivíduos. Pousa nas árvores mais altas da mata, onde costuma dormir. Quando está sobrevoando uma área, chama a atenção o contraste entre o negro da cauda e asas com o corpo todo branco do adulto.

HABITOS ALIMENTÁRES: É estritamente carnívoro, mas nunca se alimenta de animais vivos, salvo se estiver faminto e a presa estiver agonizando. De modo geral, alimentam-se de carcaças de antas, capivaras, jacarés, e qualquer outro animal morto.

REPRODUÇÃO: Nidifica no chão da mata, no meio de pedras ou em morros e montanhas. Coloca um único ovo com período de incubação que vai de 53 a 58 dias, com o casal revezando-se ou somente a fêmea incubando. No período de paradas nupciais, o macho corteja a fêmea empoleirada ou no solo, abrindo e fechando as asas e exibindo a vértice vivamente colorido para a fêmea, abaixando a cabeça.

LONGEVIDADE, TAMANHO E PESO: Mede 71-81 cm de comprimento, com envergadura de asas que pode chegar a 180 cm. Pesa em média 3.000 g (macho) e 3.700 g (fêmea).

COMPORTAMENTO: Espécie grande e imponente.

CURIOSIDADES: Adulto apresenta plumagem predominante branco, com cauda, primárias e parte das coberteiras pretas; pescoço e cabeça nua, toda colorida, com pescoço alaranjado ou vermelho; íris branca. O jovem apresenta coloração preta até os seis meses de idade, após esse período começa a adquirir a plumagem branca amarelada do corpo; só as penas da cauda e as longas penas das asas continuam pretas Em áreas antropizadas e nas proximidades de fazendas, pode aparecer nos cadáveres de gado e outros animais de criação. É imune, aparentemente, ao botulismo, doença que ataca o homem e outras aves por ingestão de alimentos enlatados, como patê, contaminado pela bactéria Clostridium botulinum. Frequenta carniças com os outros urubus, onde devido a seu tamanho, deixa as outras espécies afastadas, parecendo ser o rei entre elas. Aparentemente, espera que os outros urubus encontrem a carniça através do cheiro ou da visão. Quando as espécies menores estão pousando para alimentar-se, esse comportamento denuncia a presença de carniça e o urubu-rei aproveita-se disso para chegar à fonte de alimentação.

Última atualização: 18 de dezembro de 2020, 12:43 PM